12 de março de 2018


Mulhetes de peito

| | Comentários: 0

                           Mulheres de Peito

                                       agenda - destaque 5.png
O CÂNCER DE MAMA NO BRASIL E NO MUNDO

A OMS estima que no mundo ocorram cerca de 1.050.000 casos de câncer de mama por ano. É o tipo de câncer que mais incide sobre a população feminina. Nas mulheres, é a causa mais frequente de morte por câncer.

As causas do câncer de mama não são totalmente conhecidas, mas sabe-se que a doença é multifatorial e depende de uma complexa combinação de fatores. A idade é o principal fator de risco, que aumenta a partir dos 35 anos em alguns grupos. As mulheres que têm entre 50 e 70 anos são as mais propensas, por isso as políticas de rastreamento, baseadas nas recomendações da Organização Mundial de Saúde, são prioritariamente focadas nessa faixa etária.

Existe também a predisposição genética, que não é tão significativa, pois representa de 5% a 10% dos casos, mas serve como alerta.

Os fatores que predispõem as mulheres ao câncer de mama são classificados entre os inevitáveis e os que podem ser evitados por meio da mudança ou incorporação de hábitos e comportamentos, possibilitando assim a intervenção direta dos programas de prevenção.

Na primeira classificação - INEVITÁVEIS - temos as seguintes características: sexo feminino, idade maior que 55 anos, predisposição genética, antecedência pessoal e familiar, alta densidade mamária,  menarca precoce ou menopausa tardia.

Já os fatores de risco que podem ser EVITADOS, minimizando em tese as chances de câncer, são: migração, exposição à radiação ionizante, nuliparidade ou primeira gestação depois dos 30 anos, uso de terapia de reposição hormonal, não amamentar, consumo de álcool, fumo, abuso de gordura animal e obesidade.

A presença de fatores de risco isolados ou combinados em uma pessoa não indica probabilidade de que ela vá desenvolver a doença, mas que existe uma predisposição maior.

Portanto, essa pessoa torna-se público alvo das políticas públicas de saúde para prevenção e controle.

A incidência do câncer de mama é maior nas nações desenvolvidas, mas o Brasil e demais países em desenvolvimento também vêm apresentando um aumento na sua incidência, principalmente pelo envelhecimento da população (a idade é o principal fator de risco), crescimento demográfico e mudanças nos hábitos de vida.

O aumento das notificações oficiais de câncer de mama também é atribuído ao maior acesso da população aos meios diagnósticos, decorrente das mudanças econômicas, políticas e sociais ocorridas nas últimas décadas.

No Brasil, o câncer de mama é a primeira causa de morte por neoplasia nas mulheres, com exceção da região Norte, onde ele ocupa o segundo lugar (INCA, 2009).

Ainda de acordo com o órgão, na contramão dos países que investiram em políticas de rastreamento para detecção e tratamento precoces e assim inverteram a proporção incidência versus mortalidade, no Brasil o aumento dos casos nas últimas décadas vem acompanhado do aumento do índice de mortalidade por câncer de mama.

O Estado de São Paulo apresenta a melhor cobertura para rastreamento de Ca de mama no país. Porém o Estado posiciona-se abaixo da meta preconizada pelo MS (INCA) de cobertura de no mínimo 70% das mulheres na faixa etária de 50 a 69 anos.

 O número de mamógrafos existentes no Estado (433), públicos ou conveniados SUS, atinge a média de 4,4 mamógrafos por 240 mil mulheres SUS dependentes. A OMS preconiza 01 mamógrafo para 240 mil mulheres.

Mesmo assim, não tem sido possível sensibilizar a mulher assintomática a realizar o exame preventivo considerado tão importante para sua saúde.

Vários motivos podem justificar a não aderência desta mulher: trabalhos apontam principalmente três causas referidas - falta de tempo, constrangimento e dor na realização do exame.

Por todas estas razões é criado na Secretaria de Estado de São Paulo o Programa Mulheres de Peito, com o objetivo de conscientização destas mulheres sobre a importância da realização do exame, assim como a facilidade do acesso ao mesmo, através da dispensa do pedido médico, facilidade de agendamento e garantia do tratamento logo após a confirmação do diagnóstico.

Estratégias para o Programa de Rastreamento Organizado para Detecção Precoce do Câncer de Mama, com início em 2014.

Etapa 1- Primeiras Ações:

  • A mamografia de rastreamento deve passar a fazer parte da rotina da vida da mulher na faixa etária preconizada. A estratégia prevê que todas as mulheres de 50 a 69 anos, a cada dois anos, no mês de seu aniversário, realizem o exame, sem a necessidade de pedido médico.
  •  Durante este 1º ano do Programa, até que as Unidades Básicas de Saúde também estejam preparadas para a inclusão deste procedimento à sua rotina de trabalho, o agendamento será realizado através da Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde - CROSS.
  • As mulheres na faixa etária de 50 a 69 anos deverão entrar em contato com a CROSS através do nº 08007790000 para agendar o exame de mamografia sem a necessidade de pedido médico. O exame deve ser realizado, preferencialmente, no mesmo mês de aniversário da mulher.
  •  Como a necessidade de realizar o exame é bianual, as mulheres nascidas em anos pares deverão fazer o exame em anos pares e as nascidas em anos ímpares, da mesma forma, deverão realizar o exame em anos ímpares.
  • Neste ano serão agendados os exames de mulheres nascidas nos anos pares e para as mulheres nascidas nos anos ímpares que informarem não terem realizado o exame nos últimos 2 anos.
  • As mulheres fora da faixa etária do programa continuarão a receber o atendimento com o encaminhamento estabelecido em protocolo de rotina, deverão passar por consulta e agendar o exame com o pedido médico em mãos.
  • Outra estratégia para seguimento da campanha, nos próximos anos, é a busca ativa da mulher. No mês de aniversário ela será parabenizada pela data e lembrada da importância de realizar o exame.
  • Caberá aos gestores de cada Serviço, a orientação quanto ao fluxo de entrega dos resultados e prosseguimento do atendimento à paciente.

O câncer de mama é um dos tipos de tumor mais comum entre as mulheres no Brasil e quanto antes for descoberto, maiores as chances de cura.
Para incentivar as mulheres a realizar o exame preventivo, o Governo do Estado criou o programa Mulheres de Peito. São 300 postos fixos espalhados por todas as regiões do estado que realizam mamografia gratuita em mulheres com idade entre 50 e 69 anos, grupo com mais predisposição à doença. O Programa conta ainda com 4 carretas itinerantes que levam tecnologia e atendimento para todo o Estado.
Clique aqui e conheça a história da Dona Irene, que fez uma mamografia na carreta do Programa Mulheres de Peito, foi diagnosticada com câncer de mama e fez o tratamento pertinho de casa.
O Programa Mulheres de Peito já realizou mais de 213 mil exames de mamografia e mais de 2,5 mil encaminhamentos para acompanhamento clínico.
Para agendar gratuitamente o exame basta ligar no telefone 0800-779-0000.  Conheça Mais.
E olha quem está ajudando o Governo do Estado a divulgar o Programa Mulheres de Peito: A dupla sertaneja Simone e Simaria.
Veja o vídeo aqui. 

Visite nossa pagina e veja mais  Pagina

↓ Compartilhe ↓

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DEIXE SEU RECADINHO NAS POSTAGENS DIGA SE GOSTOU OU NAO E MUITO IMPORTANTE ,VISITE NOSSAS REDES E SIGA NOS
BLOG http://www.blogmulherfashioon.com.br/
PAGE https://www.facebook.com/BlogMulherFa...
INSTAGRAM https://www.instagram.com/blogmulherf...
TWITTER https://twitter.com/vanda2310
PINTEREST https://br.pinterest.com/vanda2310/
Bem vinda

O Mundo Feminino e tão amplo com tantas opçoes ,diversidades vale a pena nos acompanhar afinal toda diva tem que estar por dentro das novidades 👗💄👜👢👠